Microscópio

Um microscópio é um instrumento que é usado para ampliar a imagem de pequenos objectos. Alguns microscópios podem ser usados para observar objectos a nível celular, permitindo aos cientistas ver a forma de uma célula , seu núcleo, mitocôndria, e outros organelos.

História

A descoberta do microscópio ocorreu em 1591, pelos fabricantes de óculos
Zacharias Janssen e seu pai Hans Janssen. Entretanto, o seu emprego para investigações na natureza ocorreu só mais tarde, com o holandês Antonie vanLeeuwenhoek que montou um microscópio de uma só lente. Ele observou água estagnada, sangue e espermatozóides, constatando a existência de estruturas muito pequenas, impossíveis de serem vista a olho nú. Mais tarde, o físico Robert Hooke (1635-1703) desenvolveu um microscópio mais poderoso e apresentou-o à comunidade científica da época. Ele utilizou como material de observação finas fatias de cortiça. Este material era constituído por cavidades microscópicas as quais ele comparou com pequenas celas. Daí vem a denominação célula , que significa pequenos compartimentos.

Tipos de microscópios

O microscópio óptico possibilitou o descobrimento das células, a elaboração da teoria segundo a qual todos os seres vivos são constituídos por células. O microscópio continua a ser actualmente um instrumento muito importante em citologia.

O microscópio electrónico, diferente do microscópio óptico, não utiliza a luz para obter a imagem do objecto, mas sim um feixe de electrões.

O microscópio electrónico permitiu a observação de estruturas célulares até então desconhecidas, devido a possibilidade de obtenção de imagens muito ampliadas.


Por ser um instrumento muito caro, o microscópio electrónico requer muito
cuidado na sua utilização, feita sópor pessoal especializado, está disponível
apenas em laboratórios de investigação avançada.

Constituição do microscópio óptico composto

O microscópio óptico composto é constituído por uma parte mecânica e por uma parte óptica.

A parte mecânica é constituída pelo pé, coluna que suporta o tubo ou canhão, platina ou porta objecto.

O pé é o apoio do microscópio. Confere-lhe estabilidade.

O tubo cilíndrico suporta na extremidade superior uma ocular e na parte inferior diferentes objectivas montadas sobre um disco chamado revólver, o qual permite substituir facilmente uma objectiva de poder de ampliação diferente.

No uso do revólver, pode girá-lo ou rodá-lo até colocar a objectiva escolhida. Na coluna, pode existir dois parafusos que permitem aproximar ou afastar da objectiva o objecto a examinar deslocando a platina.

O parafuso maior (macrométrico) permite deslocamentos rápidos. O parafuso menor (micrométrico) permite deslocamentos lentos.

A parte óptica é constituída pelas objectivas, pela ocular, por um espelho ou lâmpada, um condensador ao qual se adapta um diafragma.

As objectivas e as oculares são pequenos tubos que contêm várias lentes de vidro que permitem a ampliação da imagem do objecto a observar.

Cada objectiva e cada ocular tem um número gravado que indica o poder de ampliação da imagem em estudo.

O produto da multiplicação do número da ocular pelo número da objectiva que utilizamos em cada observação dá-nos a ampliação com que estamos a observar.

O espelho ou lâmpada (fonte de iluminação) ilumina a preparação, permitindo a sua observação.

O condensador é um sistema de lentes que condensa os raios e os concentra ainda mais fortemente sobre o objecto.